RESENHA DO LIVRO TANTO FAZ & ABACAXI DE REINALDO MORAES

O livro Tanto Faz & Abacaxi fala sobre a vida de um pseudo-escritor que caí na gandaia no intuito de se inspirar e acaba se envolvendo em inúmeras vertentes.

banner-tanto-faz-e-abacaxi

“Tanto Faz & Abacaxi” é um combo de duas produções separadas feitas pelo escritor Reinaldo Moraes, nascido em São Paulo no mês de janeiro do ano de 1950 e graduado em Faculdade Getúlio Vargas em administração. Ele estreou na literatura em 1981 com o primeiro romance “Tanto faz, livro que se tornaria cultuado por diversas gerações. E em 1985 lançou “Abacaxi”, a continuação de seu livro de estreia. Ambos foram reeditados em um único volume pelo selo Má Companhia, da editora Companhia das Letras e pelo próprio Reinaldo.

A obra conta duas histórias que dialogam entre si, no primeiro livro Ricardo de Mello é o herói-narrador, uma espécie de eterno garotão à beira dos trinta que deixa para trás a burocrática rotina de um emprego em São Paulo para voar pelo Atlântico e pousar em Paris. Em “Tanto faz & Abacaxi” sua desculpa é uma bolsa de estudos num curso profissional, mas os próprios acontecimentos narrados o levarão a abortar a ideia. Como esse personagem desenvolve uma vida de vadiagem e poesia por Paris?

Por trás dessa aventura em terras francesas, encontra-se um ambicioso projeto pessoal de transformar-se em escritor. Por isso, em “Tanto faz & Abacaxi” o Ricardo logo abandona o projeto de faculdade de economia para atirar-se numa vida desregrada, sem limites, animada aqui e ali por loucas aventuras, bebidas, drogas e dezenas de garotas que cruzar por seu caminho. Passado um ano de estrepolias na Paris dos sonhos malucos, é hora de encarar a dura realidade: voltar para casa.

Aqui começa a história de “Abacaxi”, segundo livro do autor, durante o seu retorno, a viagem de “Tanto faz & Abacaxi” é marcada por uma longa escala e por novas experiências adquiridas na cidade de Nova York, depois no Rio de Janeiro, onde o narrador viverá suas melhores e mais hilárias passagens pelo mundo das drogas, sexos e… vejamos bem, tanto faz… Porque Abacaxi é no fundo um título bastante apropriado para simbolizar não só a visão quase estrangeira (estranha) que o protagonista tem do Brasil, mas uma imagem que mostra seu próprio desprendimento e escracho com relação ao mundo prático (e careta) ao seu redor.

Livros como este, considerados transgressores para a época e ainda hoje, são capazes de chocar qualquer cidadão de bom senso (para os que procuram bom senso na literatura), “Tanto faz & Abacaxi” escancaram o talento de um grande escritor, com seus achados linguísticos, diálogos hilários e um cruzamento vertiginoso e saboroso entre alta e baixa cultura.

 

 

 

Livro:

comum-tanto-faz-e-abacaxi

Tanto Faz & Abacaxi
Reinaldo Moraes
Editora Má companhia
344 páginas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin