RACIONAIS MC’S: ANÁLISE DA ADAPTAÇÃO EM LIVRO DE SOBREVIVENDO NO INFERNO

Saiba mais sobre o livro Racionais Mc. Uma adaptação em livro após 21 anos do lançamento do albúm sobrevivendo no inferno.

banner-racionais
O grupo Racionais Mc’s completa 30 anos em 2019

Após 21 anos do lançamento do álbum Sobrevivendo no Inferno, do grupo Racionais Mc’s, a Companhia Brasileira de Letras lançou a adaptação literária da obra. As fortes e aparentemente atemporais letras rap ganham a contextualização e a análise do professor doutor Acauam Silvério de Oliveira. 

Visualmente, o livro segue as referências bíblicas presentes nas músicas de Mano Brown, Ice Blue, Edi Rock e Kl Jay. A lombada com a cor dourada brilhante realmente passa a impressão de estarmos segurando um livro sagrado. 

Pode parecer no mínimo curioso analisar um livro formado, quase predominantemente, por músicas. No entanto, poucas obras puderam relatar com tanta destreza a realidade de grupos historicamente excluídos no Brasil.  

Para o poeta Sérgio Vaz, o álbum teve um impacto direto na juventude negra brasileira: “Foi com Sobrevivendo no inferno que a juventude negra e periférica se formou. Por causa deste disco muita gente se graduou em autoestima e não entrou para a faculdade do crime.” 

Vindo de uma geração que sucedeu a dos Racionais, o rapper Criolo também destacou a importância da obra: “O relato não frio, histórico e real da mentalidade que massacra e exclui no Brasil.” 

Se engana quem acredita que não integra o público alvo de Sobrevivendo no Inferno. Além de reforçar a autoestima e consciência social da periferia, o álbum possibilita que pessoas de outras realidades tomem conhecimento de um Brasil distante do qual vivem. Prova disso é o fato de a obra dos Racionais estar entre as obrigatórias para o vestibular da UNICAMP, ao lado de outros clássicos. 

A análise das letras do álbum pode ser considerada uma verdadeira imersão na história pouco contada de um país que durante mais de 300 anos foi escravocrata. Realmente, Mano Brown e seus companheiros vieram para “sabotar nosso raciocínio”, como dito em “Capítulo 4 Versículo 3”. 

A música em questão, aliás, choca do começo ao fim. Em sua introdução, o rapper Primo Preto afirma: “Sessenta por cento dos jovens de periferia sem antecedentes criminais já sofreram violência policial. A cada 4 pessoas mortas pela polícia, 3 são negras. Nas universidades brasileiras apenas 2% dos alunos são negros. A cada 4 horas, um jovem negro morre violentamente em São Paulo.” 

Como membro de uma classe média privilegiada, enxergo Sobrevivendo no Inferno como um instrumento que destrói os filtros construídos pela alienação. Certamente, nem todos estão prontos para a dose de culpa e revolta proporcionadas pelo álbum. Ainda assim, o grupo Racionais Mc’s chega com o pé na porta de barracos e mansões. Três décadas contrariando as estatísticas… e contando. 

 

 

 

Livro:

comum-racionais

Sobrevivendo no inferno
Racionais MC’s
Editora Companhia das Letras
160 páginas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin