PARA PODER VIVER: RESENHA DA AUTOBIOGRAFIA DE YEONMI PARK

A história de uma garota que fugiu da Coreia do Norte com 13 anos de idade para poder viver uma vida longe da ditadura e opressão

banner-para-poder-viver

‘Esta é a história da escolhas que eu fiz para poder viver’. Essa é a frase que Yeonmi Park usou para descrever as sensações descritas nas páginas, e que inclusive deu nome ao livro. Para Poder Viver trata-se muito mais que uma história de uma menina que fugiu da ditadura da Coreia do Norte. Hoje ativista pelos direitos humanos, Yeonmi viu na sua história a oportunidade de ajudar outros que passaram por situações semelhante. Para isso, nesta autobiografia, a autora conta sobre como fugiu da Coreia em 2006, com apenas 13 anos da idade, e sobretudo, retrata como ela sobreviveu emocionalmente, psicologicamente e fisicamente naquele mundo ditador.

Primeira fase

Para Poder Viver é basicamente dividido em três partes: Coréia do Norte, China e Coréia do Sul. Na primeira, ela conta sobre a ditadura e crenças dentro do país. ‘A minha mãe acreditava que Kim Il-sung e Kim Jong-il tinham poderes sobrenaturais. Acreditava que Kim Il-sung fazia o sol se levantar e que quando Kim Jong-il tinha nascido em uma cabana em nosso sagrado monte Paektu, sua vinda foi marcada por um duplo arco-íris e uma brilhante nova estrela no céu’. Após seu pai ser preso por comércio ilegal ser submetido a um trabalho forçado, Yeonmi imaginou que fugir seria a última e única saída para não enfrentar a fome a pobreza. Para isso, foi atrás das pessoas especializadas na fuga do país. Mais pra frente ela descobriria que eles não eram dos mais confiáveis.

Segunda fase

A segunda parte é ambientada na China, onde ela passou por momentos deploráveis e que rapidamente quebraram com sua inocência. Com apenas 13 anos da idade, Yeonmi se viu obrigada a procurar trabalhos clandestinos a fim de poder sobreviver ilegalmente no país junto com sua mãe, que veio também a fugir da Coreia atrás da sua filha.

Terceira fase

A terceira fase já vem trazendo o tom e os aprendizados da história. Após uma difícil trajetória e uma fuga muito conturbada, a garota já com 16 anos da idade, conseguiu enfim migrar para a Coreia do Sul. E apesar das barreiras sensoriais e culturais, eles a receberam muito bem. Digo barreiras sensoriais porque na escola, no ensino médio, ela teve dificuldade de criar suas próprias crenças. Isso porque ela viveu em um mundo em que tudo era decidido pelo governo, até mesmo sua cor preferida. Então, consequentemente, ela não tinha nem o poder de escolha, e muito menos o de confronto.

‘Eu não estava sonhando com a liberdade quando fugi da Coreia do Norte. Eu nem mesmo sabia o que significava ser livre’. Essa frase sintetiza sua trajetórias nos mais de três anos de fuga e aprendizados. Para Poder Viver nos mostra o crescimento de uma menina indefesa, e sua transformação em uma garota inteligente. Yeomni mesmo tendo sofrido muito, hoje tenta reverter a situação e trazer o melhor de tudo isso.

A autora

Yeomni Park ganhou um grande reconhecimento após seu discurso no One Young World Summit, em 2014, um encontro de jovens para discutirem soluções para problemas globais. Sua palestra gerou mais de dois milhões de visualizações no Youtube. Apenas um ano depois, em 2015 sua autobiografia foi publicada. Hoje, a autora de Para Poder Viver vive nos Estados Unidos, onde dá palestras sobre direitos humanos e conta sua história para grandes multidões. Mas, tudo isso a um custo. Sua família que permaneceu na Coreia do Norte foi perseguida e obrigada a difamá-lá nas emissoras de TV.

Livro:

comum-para-poder-viver

Para poder viver: A jornada de uma garota norte-coreana para a liberdade

Park Yeon-miMaryanne Vollers
Editora Companhia de Letras
328 páginas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin