MAUS, DE ART SPIELGELMAN.

 

Maus: A história de um sobrevivente.

 

Maus é um graphic novel – romance gráfico- do cartunista norte-americano Art Spielgelman serializado de 1980 a 1991. O quadrinho retrata Spiegelman entrevistando seu pai acerca das experiências deste enquanto um judeu polonês e sobrevivente do Holocausto. A obra utiliza técnicas pós-modernistas e o antropomorfismo transforma os judeus em ratos, alemães em gatos, poloneses em porcos e os norte-americanos em cães.

No presente narrativo de Maus, que se inicia em 1978, na cidade de Nova Iorque, Spiegelman conversa com seu pai, Vladek, sobre as experiências deste sobre o Holocausto, recolhendo material para o projeto Maus

que está preparando. No passado narrativo, Spiegelman retrata estas experiências, desde os anos que culminaram na Segunda Guerra Mundial até a liberação de seus pais dos campos de concentração nazista. Boa parte da história gira em torno da relação difícil entre Spiegelman e seu pai, e a ausência de sua mãe, Anja, que se suicidou quando o autor tinha vinte anos. Tomado pelo pesar, Vladek destruiu os relatos escritos por ela sobre Auschwitz

É nítido como para Art sobreviver a Auschwitz não é necessariamente continuar vivo, e sua mãe é o retrato disso, em que esteve tão deprimida, até chegar ao ponto em que não aguentava mais e acabar se suicidando, além de aguentar todas as manias que seu pai adquiriu no período em que foi prisioneiro dos nazistas, como se fossem sequelas que nunca serão superadas

Embora Maus tenha ganhado diversos prêmios renomados, o que o torna especial de fato são os motivos que a fizeram tão laureado, a maneira como ele utilizou de uma mídia de certo ponto discriminada, utilizada geralmente em obras infantis para abordar uma das maiores atrocidades humanas: O Holocausto, fazendo com que Maus se torne uma obra fácil de ser lida e entendida, porém com um tema extremamente sério e complexo. Usando um estilo minimalista de desenho, inovando no ritmo, na estrutura e nos layouts de página. Além disso O desenho de Spiegelman, bem sujo, é uma consequência do estilo da Raw, mas serve também para mostrar que aqueles ratos não são bonitinhos como os desenhados por Walt Disney. Pois diferente do ratinhos da Disney, esses são relacionados aos judeus, que na época eram tratados como vermes, sujos e inferiores no governo racista de Adolf Hitler.

Assim como Auschwitz mudou de formas diferentes as vidas das pessoas que passaram por lá, a maneira como cada uma delas conseguiu sobreviver também é bastante variada, mera obra do acaso. Como o dinheiro que cada um tinha fora dali já não existia mais, era bastante comum haver traições até mesmo de judeus contra judeus. Em Maus, Vladek caiu em algumas delas e conseguiu se salvar com a ajuda de pessoas que ele conhecia, do seu trabalho árduo, dos seus contrabandos e escambos, da sua inteligência, e, claro, da sua sorte. Pela simples falta de qualquer um destes itens seis infelizmente milhões de judeus morreram na Segunda Guerra Mundial, graças a um governo racista e nada coerente.

Livro:

MAUS

Art Spielgelman

Editora Pantheon Books

Ano: A primeira parte em 1986, a segunda em 1991

296 páginas

 

 

Sobre o autor:

 

Art Spiegelman nasceu em Estocolmo, no dia 15 de fevereiro de 1948, é ilustradorcartunista e autor de histórias em quadrinhos americano nascido na Suécia. Atuou durante a década de 1990 na produção de charges, ilustrações e capas para revista nova-iorquina The New Yorker. Duas de suas obras mais conhecidas são a semi-biográfica Maus e a coletânea de tiras em quadrinhos In the Shadows of No Towers. Em 1992 Spiegelman ganhou o prêmio Pulitzer, um dos mais conceituados do meio jornalístico e literário, e nunca antes dado a uma HQ.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin