A FERA NA SELVA: UM SOCO QUE MERECEMOS E PRECISAMOS RECEBER

Escrita por Henry James, a história narra a história de um homem e uma mulher que se encontram periodicamente, sob uma inquietação do rapaz.

banner-a-fera-na-selva

A Fera Na Selva é uma das novelas mais célebres da literatura mundial. Escrita pelo norte-americano Henry James, autor de suma importância na literatura realista do século XIX, a história narra a história de um homem e uma mulher que se encontram periodicamente, sob uma inquietação do rapaz. A mulher, May Bartram, diz categoricamente: “Vou esperar com você”. O homem, John Marcher, passa a vida em busca de responder uma dúvida: Quando a fera dará o bote? 

A partir dessa inquietação, a trama se desenvolve. Construída sob as intermitências temporais do contato entre os dois, a questão do rapaz se adensa de tal modo a tocar em assuntos da vida humana. Destino, morte e amor são temas abordados durante a busca por essa tal fera na selva, dúvida intermitente de Marcher.

A busca dele por esse momento de significância vai se torcendo conforme o tempo. Ora com desejos de glória, ora sob o agouro de um momento de cólera,ou de qualquer outro sentimento que lhe responda indubitavelmente sobre o motivo de sua existência, a pergunta torna-se a principal obsessão de ambos. Conforme os dois se aproximam, Bartram, a coprotagonista da obra, exerce uma espécie de anteparo para as dúvidas do homem, à medida que é ela quem instiga sobre o conhecimento de causa desse segredo e mote da vida do homem. 

Então, o questionamento em a Fera na Selva não é apenas sobre os destinos e glórias do homem, mas sim sobre o reconhecimento que uma pessoa pode ter sobre a outra. Ao exercer esse papel de anteparo do homem, May, se dá conta, enquanto envelhecem, do que é a tal fera de que Marcher comenta ao longo dos anos.

Essa fera é a própria relação frustrada de amor entre os dois, percebida apenas pela protagonista. Na vida de ambos, as significâncias ocorrem no contato e nas permanências e não na grandiloquência pretendida pelo homem. Fato que ele só percebe depois da morte de sua companheira, fatalmente a Fera na Selva e grande amor de sua vida.

Desse modo, Marcher vaga sob a certeza de que o bote da fera ocorrera quando não lhe fora possível perceber. Ao presenciar a náusea e o horror do conhecimento, Marcher vê a vertigem cortante da Fera no vento e tomba sob a égide de Bartram. Assim, Henry James nos pinta um quadro complexo sobre as frustrações de um amor jamais concretizado.

 

Livro:

comum-a-fera-na-selva

A Fera na Selva
Henry James Fernando Sabino
Editora Rocco Digital
83 páginas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin