RESENHA DA BIOGRAFIA – UMA HISTÓRIA DE AMOR E ODIO AO TENNIS

A biografia de Andre Agassi cativa ao revelar novas polêmicas, bastidores, inimizades e conflitos internos e familiares do tenista.

banner-andre-agassi

O primeiro capítulo do livro Agassi não dá a chance do leitor respirar. A narrativa segue um formato “abre no fecho”, começando momentos antes do confronto com o grego Marcos Baghdatis, a partida em que o protagonista encontrou o ponto final de sua carreira.

Já no início, o autor e atleta não mede esforços para transparecer as dores, angústias e dualidades que sentia em relação ao esporte e à inevitável aposentadoria que estava por vir.

Uma vez que Andre Agassi já demonstrou carregar a polêmica consigo em diversos momentos, o leitor não precisa ser um grande aficionado por tênis para se divertir durante a leitura.

Sobre o livro

Na verdade, basta ser um amante do esporte ou de personagens icônicos e midiáticos da vida real — como Romário ou Renato Gaúcho –, que gostam de chamar a atenção por meio de roupas espalhafatosas, declarações e propagandas polêmicas e desprezo por certas regras e convenções sociais.

A rebeldia é parte essencial na construção da figura Agassi. Afinal, a idolatria existente em cima do atleta é formada pela união de suas atuações geniais em quadra com a sua personalidade que apresenta várias camadas.

O livro explora as complexidades dos sentimentos e o amadurecimento vivido pelo atleta, que no início é um jovem prodígio com comportamento de rockstar e depois de 200 páginas se torna um adulto cheio de dores nas costas que funda uma escola preparatória para as crianças carentes de Las Vegas.

Não é difícil se identificar com Agassi. Ele é um personagem humano, que sofre pressão do pai para ser o melhor tenista, tem baixa autoestima e usa peruca por vergonha de ficar careca, viveu amores não correspondidos, levou um pé na bunda e sentiu ciúmes da namorada, não ama seu emprego e sobretudo erra dentro e fora de quadra, mente para se safar de problemas, é frágil, sente-se desmotivado em vários momentos e desgosta de alguns companheiros de profissão.

E, mesmo o leitor possuindo o direito de reprovar os comportamentos, ele é jogado para próximo e enxerga as motivações de Andre. Essa desmistificação da jornada do tenista-herói, traz a trama para perto dos leitores, uma vez que não há nada mais humano do que ser um humano.

 

 

Livro:

comum-andre-agassi

Agassi Autobiografia

Andre Agassi
Editora Globo livros
504 páginas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin