Resenha literária: A Garota do lago

 

Aviso: Contêm spoiler

 

imagem mostrando a capa do livro "A garota do lago"
imagem da capa do livro “A garota do lago”

 

 

O livro “A Garota do lago” trata do assassinato de uma estudante de pós graduação em direito de apenas 22 anos. O livro explora a construção do cenário de sua vida até sua morte e a investigação de seus segredos por uma jornalista, Kalsey, que se conecta com o caso por ter ido à investigação não só pra escrever um artigo sobre a garota, mas também para se curar e se restabelecer após um estupro. Ao descobrir que a estudante Becca também sofreu essa violência, se sentiu ainda mais ligada a ela, com a sensação de dever  um desfecho para o  caso e  imaginando que ela, ao contrário da vítima de assassinato, sobreviveu.

O livro começa com uma cena forte do assassinato de Becca(A garota do lago) e depois desenvolve a vida da garota, que tinha 3 melhores amigos: Brad, Jack e Gail. A garota se mostra inicialmente super próxima de Brad, conversando com ele até ao amanhecer e tendo feito isso, de acordo com ela, mais de 100 vezes, a partir daí percebe-se uma amizade bem íntima, em que ele é profundamente apaixonado por ela, enquanto mesmo que isso sendo bem evidente, ela nunca “corta essa paixão” e mantém uma relação apenas de amizade pela parte dela, apesar haver muito carinho físico, mas que se limita ao toque.

A partir daí é desenvolvido que a Becca tem um relacionamento com o Jack, seu outro amigo, e Brad reage de uma maneira muito negativa ao descobrir, ele se  demonstra muito chateado, para de falar com o casal e não compreende o relacionamento. Até esse ponto da narrativa, é compreensível que o rapaz se sinta dessa maneira com a garota dos seus sonhos namorando escondida com o seu melhor amigo- e ele sabendo dos seus sentimentos pouco antes- mas a forma em que foi conduzida a conversa, demonstra além de raiva, um sentimento em Brad que os amigos estariam mentindo e”rindo” e debochando dele. A partir desse comentário eu me recordei de um outro livro, que chama “ um porto seguro” e o marido abusivo e agressivo da protagonista têm traços psicóticos e o tempo todo sugere que quando ela está com outro está rindo, rindo do quanto ele é otário, rindo da ilusão que ela teria causado a ele. E isso me fez desconfiar que Brad seria o assassino de Becca, afinal, seria bem óbvio ser alguém próximo dela e rejeitado por ela, que não podendo possuí-la, a estupra e a mata.

Além disso, Brad já mostra que tem um desejo de vingança sedenta pelo pai, e um plano articulado de uma maneira extremamente longa para castigar o pai por toda cobrança que ele sofre: fazer o pai investir montes de dinheiro na faculdade George Washington, se tornar um advogado pela vontade do pai e prendê-lo por seus crimes de corrupção, seria uma traição do próprio filho e isso já demonstra que ele é um personagem problemático.

Mas o autor é inteligente ao desviar as suspeitas sobre Brad , pois constrói uma cena em que os amigos estão voltando para o apartamento do rapaz após um surto protagonizado por ele ao ser rejeitado em faculdades Ivy Leagues, e é descrita uma cena em que os amigos ao entrar no apartamento, vêem ele pendurado em uma viga tentando se enforcar a partir de um pontapé em uma cadeira. Mas, para o leitor atento, é possível questionar uma morte a partir disso, pois os amigos chegam após pouco mais de um minuto do suposto suicídio(o autor não diz explicitamente sobre uma morte, apesar de ser muito subentendida no livro) e em 1  minuto é difícil uma pessoa morrer enforcada, teria que ser uma corda muito longa, mas como ele estava pendurado na viga do apartamento e antes sob uma cadeira, a corda era relativamente curta para uma morte nesse tempo.

Para um leitor que não percebe esse detalhe, as suspeitas realmente se desviam de Brad, e possivelmente os leitores passam a elaborar outras teorias ou encontrar outros suspeitos para a morte da garota, o que torna a partir da perspectiva desses leitores, uma leitura menos previsível.

A jornalista Kelsey desvenda o mistério da morte de Becca com diversos obstáculos na investigação, pois o pai da estudante de direito é aspirante a juiz e um advogado influente e quer controlar o fluxo de informações a respeito do caso para não se tornar um escândalo e manchar a reputação da família. Mas uma pessoa poderosa como o pai de Becca afasta o investigador local para entregar o caso a detetives estaduais, que eram completos incompetentes. Digo, os detetives foram superados por uma jornalista que não tinha acesso ao facebook, á família e aos amigos da garota inicialmente, e os detetives se concentraram em um furto aleatório que resultou no assassinato de Becca, mas se eles tivessem entrado em contato por meio de uma única ligação com  a melhor amiga da garota, Gail, eles teriam descoberto o caso imediatamente, porque a própria Gail mais tarde no livro ao conversar com um aliado de Keysey no caso, diz que: Becca era muito próxima de Brad, ele ficou muito ressentido, surtou e se isolou na cabana de caça dos pais a uma hora da cidade em que Becca foi morta- um cenário totalmente favorável ao assassinato da estudante de direito. Então, não faz sentido o pai influente de Becca não ter o assassinato da filha desvendado por investigadores que precisariam de apenas um pouco de pesquisa para descobrir que o Brad é o assassino, afinal, os primeiros suspeitos são sempre os mais próximos da vítima.

Também, o marido de Becca, Jack (eles fugiram pra casar quando descobriram que ela estava grávida), morreu exatamente no mesmo dia em que ela foi assassinada em eventos desconexos, e a morte do rapaz foi muito improvável: um acidente de avião- o meio de transporte mais seguro do mundo- quando estava indo visitá-la em Summit Lake, a cidade do asssassinato. E ainda, ele morre antes dela sem ela descobrir, o que me fez parecer um desfecho preguiçoso, sem o autor desenvolver o luto que ele sentiu, sem ele ter descoberto que a esposa dele morrera assassinada.

Quanto á sugestões  para o melhor desenvolvimento da história , poderia ter uma exploração melhor da conexão de Kelsey com Becca, tratando da parte sentimental e o estupro de uma maneira mais bem trabalhada. Ademais, gostaria de ter lido a carta, mencionada diversas vezes como uma carta emocionante de Becca para a filha dela, mas que nunca foi mostrada ao público.

Por fim, quantificando o quanto gostei do livro “A garota do lago” , dou 6,5/10 pelos furos e certa previsibilidade, no entanto, achei a leitura fluida e interessante, que mantém o leitor na narrativa.

Para mais resenhas como essa clique aqui 

Acesse tambem nosso video no youtube sobre essa resenha

link: https://youtu.be/Eb1NMu70r1Y

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima
0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin